Portal do Governo | Investe SP | Cidadão SP | Internacional SP

Webmail    |    Intranet

 

Mudas de café IAC são plantadas durante o 1º Festival da Cultura Cafeeira de Campinas

 

 
 
Por Ana Cláudia Chagas (estagiária) e Carla Gomes (MTb 28156) – Assessoria de Imprensa – IAC
 
Oito mil pessoas, aproximadamente, visitaram o 1º Festival da Cultura Cafeeira de Campinas, de acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Cultura de Campinas, responsável pelo evento, realizado nos dias 22 e 23 de julho de 2017. O Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, participou do 1º Festival com o plantio de mudas das novas cultivares de café desenvolvidas pelo IAC. O diretor-geral do Instituto, Sérgio Augusto Morais Carbonell, fez, no dia 22, o plantio das cultivares IAC Obatã 4739, recentemente lançada pelo Programa Café IAC e que vem sendo adotada gradativamente pelos cafeicultores, e da IAC Catuaí SH3, uma cultivar resistente, até o momento, a todas as ferrugens prevalecentes no país.
O plantio foi feito em frente ao Museu do Café, localizado no Lago do Café, onde foi realizado o Festival, que teve por objetivo mostrar a trajetória da história do café na cidade, com programação que incluiu artes e gastronomia relacionadas ao café.
Referência em pesquisa cafeeira no Brasil e no mundo, o IAC participou do evento com exposição das cultivares de café desenvolvidas pelo Instituto mais recentemente e que já ocupam os cafezais em algumas regiões produtoras. O público teve a oportunidade de conhecer a Cultivar IAC Obatã 4739 e a IAC Catuaí SH3. “As duas cultivares oferecem benefícios almejados pelos produtores”, afirma o pesquisador e diretor do Centro de Café “Alcides Carvalho” do IAC, Júlio Cesar Mistro.
Além de boa qualidade de bebida, a IAC Obatã 4739 possui porte baixo, vigor, boa ramificação secundária, brotos novos de cor verde, frutos grandes de cor amarela, maturação média a tardia. Tem também moderada resistência à ferrugem, característica que proporciona economia para o produtor, por reduzir a necessidade de controle químico, o que também contribui com a redução da poluição ambiental e de riscos para a saúde dos agricultores.
Segundo Mistro, a cultivar IAC Catuaí SH3 é uma cultivar resistente, até o momento, a todas as ferrugens prevalecentes no país. “Quando cultivada de acordo com recomendações técnicas, permite alcançar uma boa produtividade, possuindo uma boa qualidade de bebida e menor exigência hídrica”, explica. A cultivar apresenta porte baixo, ótimo vigor, frutos vermelhos escuros e maturação média a tardia.
As pesquisas do Instituto na área de café têm o intuito de desenvolver cultivares resistentes às pragas, ferrugens e nematoides, aliadas a excelência na qualidade de grãos e bebidas. “Assim o IAC colabora para este importante setor do agro brasileiro, como recomenda o governador Geraldo Alckmin”, diz o secretário de Agricultura, Arnaldo Jardim.
 
As pesquisas do Instituto na área de café têm o intuito de desenvolver cultivares resistentes às pragas, ferrugens e nematoides, aliadas a excelência na qualidade de grãos e bebidas. 
 

Sede do Instituto Agronômico
Avenida Barão de Itapura, 1.481
Botafogo
Campinas (SP) Brasil
CEP 13020-902
Fone (19) 2137-0600