Portal do Governo | Investe SP | Cidadão SP | Internacional SP

Webmail    |    Intranet

Centro de Grãos e Fibras


Cultivares - Mamona

Mamona - IAC 80

O programa de melhoramento genético da mamona do Instituto Agronômico de Campinas desenvolveu uma cultivar, produtiva e de porte alto, a IAC-80, objetivando recomendá-la a pequenas propriedades familiares e diversificadas que disponham de mão de obra para realizar a colheita em várias etapas. A cultivar foi obtida por seleção massal e polinização controlada, em população oriunda de sementes coletadas em Pirapozinho, SP, em 1976.

Caracteristicas

Ciclo: 240 dias

Espaçamento: 2,50 x 1,00m

Gasto de sementes: 4 a 5 kg ha-1

Porte: 2,50 a 3,00m

Fruto: deiscente, com espinhos.

Produtividade média: 1.500 a 4.000 kg ha-1

Reação a doenças: Fusariose e bacteriose (S), mofo-cinzento (MS)

Colheita: manual e parcelada

Teor de óleo: 47-49%

Vantagens

Por ser originário de material local, está adaptado às condições ecológicas paulistas, tendo também bom desempenho em culturas realizadas no Centro-Oeste e algumas regiões do Nordeste.

Com pequena modificação no sistema de produção, possibilita alta produção de mamona concomitantemente à produção de culturas alimentícias precoces em consórcio de fileiras duplas.



Mamona - IAC Guarani

Obtida do cruzamento entre a cultivar Campinas e a cultivar Preta, após seleção genealógica. Nos testes regionais de avaliação de linhagens e cultivares, a linhagem 70/64 destacou-se pela sua produtividade e adaptabilidade, sendo lançada com a denominação de Guarani.

Caracteristicas

Ciclo: 180 dias

Espaçamento: 1,00 x 1,00m

Gasto de sementes: 8 a 10 kg ha-1

Porte: 1,80 a 2,00m

Fruto: indeiscente, com espinhos.

Produtividade média: 1.500 a 2.800 kg ha-1

Reação a doenças: Fusariose e mofo-cinzento (S), bacteriose (MS)

Colheita: única (manual ou mecânica)

Teor de óleo: 47%

Vantagens

Reúne a rusticidade da cultivar Campinas com a adaptabilidade da cultivar Preta, material local muito disseminado nas principais regiões de produção do país.

Produzindo frutos indeiscentes, a cultivar Guarani é recomendada para lavouras com mais de 100ha, justamente pela colheita única que proporciona. Além disso, a mecanização da colheita também é possível, em condições especiais.



Mamona - IAC 226

Foi a primeira cultivar comercial de porte alto com frutos indeiscentes em distribuição comercial no Brasil. A IAC-226 foi obtida por meio do cruzamento da linhagem denominada Pindorama (seleção derivada do IAC-38), com a cultivar Campinas, reunindo plantas de porte médio-alto, com ramificação baixa, em formato de taça, com diversos racemos de tamanho médio, podendo ter até 18 racemos efetivos, traduzindo-se em alta produtividade média.

Caracteristicas

Ciclo: 180 dias

Espaçamento: 2,50 x 1,00m

Gasto de sementes: 4 a 5 kg ha-1

Porte: 2,00 a 3,00m

Fruto: indeiscente, com espinhos.

Produtividade média: 1.000 a 2.600 kg ha-1

Reação a doenças: Fusariose e bacteriose (S), mofo-cinzento (MS)

Colheita: única (manual)

Teor de óleo: 46%

Vantagens

Sua adaptabilidade foi demonstrada pelo seu alto potencial de produtividade, tendo atingido 5.070 kg ha-1 e produtividade média de 2.680 kg ha-1, nos experimentos regionais de linhagens e cultivares, em diversas localidades. Sendo de porte médio-alto, é recomendado ao pequeno e médio produtor, possibilitando a consorciação com culturas alimentícias, em fileiras duplas.



Mamona - IAC 2028

O Instituto Agronômico é pioneiro na execução de pesquisa e desenvolvimento com a cultura da mamona, contribuindo com o lançamento de materiais com potencial de cultivo em todo o país. Para atender a demanda do agronegócio da mamona no Brasil o IAC lançou uma nova cultivar de mamona, a IAC-2028, de elevado potencial produtivo, ciclo precoce e frutos indeiscentes, propiciando uma única colheita. Esta cultivar foi obtida por meio da hibridação artificial entre a linhagens L881, desenvolvida por seleção massal dentro da cultivar IAC-38 e a progênie H34 do Programa de Melhoramento da Mamoneira do IAC.

Caracteristicas

Ciclo: 180 dias

Espaçamento: 1,00 x 1,00m ou 1,50x 0,50m

Gasto de sementes: 8 a 10 kg ha-1

Porte: 1,60 a 1,80m

Fruto: indeiscente, com espinhos.

Produtividade média: 1.500 a 2.800 kg ha-1

Reação a doenças: Fusariose e bacteriose (S), mofo-cinzento (MS)

Colheita: única (manual ou mecânica)

Teor de óleo: 47%

Vantagens

Germoplasma com alto potencial produtivo, boa adaptabilidade e estabilidade, porte baixo, próprio para mecanização (plantio e colheita) e uniforme em relação ao período de maturação dos racemos. Para a exploração de seu potencial produtivo a cultivar deve ser semeada, preferencialmente, nos meses de outubro e novembro nas regiões aptas ao seu cultivo no Estado de São Paulo.



Sede do Instituto Agronômico
Avenida Barão de Itapura, 1.481
Botafogo
Campinas (SP) Brasil
CEP 13020-902
Fone (19) 2137-0600