Webmail    |    Intranet

Centro de Grãos e Fibras


Cultura - Feijão

PROGRAMA FEIJÃO

Os trabalhos com melhoramento genético em feijoeiro foram iniciados no Instituto Agronômico-IAC, na seção de genética em 1932, no município de Campinas – SP, tendo como base realizar avaliações sobre a capacidade produtiva da espécie, porte de planta e resistência a doenças, para posterior utilização na obtenção de linhagens e cruzamentos artificiais. Essa pesquisa foi a base para o início de outros programas de melhoramento iniciados no Brasil.

EQUIPE DIRETAMENTE LIGADA AO PROGRAMA

Pesquisadores:

Sérgio Augusto Morais Carbonell – Melhorista
Alisson Fernando Chiorato – Melhorista
Carlos Augusto Colombo - Biologia Molecular
Luciana Lasry Benchimol – Biologia Molecular
Margarida Fumiko Ito – Fitopatologia
Ilene Ribeiro da Silva Passos – Cultura de Tecidos
Cássia Regina Limonta Carvalho – Qualidade Tecnológica de Grãos


Equipe técnica e experimentação regional:

Antonio Lúcio Mello Martins – Exp. Regional (Pindorama)
Marcio Akira Ito – Exp. Regional (Tatuí)
Denizart Bolonhezi – Exp. Regional (Ribeirão Preto)
Francisco Seiiti Kasai – Exp. Regional (Adamantina)
Rogério Soares de Freitas – Exp. Regional (Votuporanga)
Paulo Boller Gallo – Exp. Regional (Mococa)
Edison Ulisses Ramos Júnior – Exp. Regional (Capão Bonito)
Candido Ricardo Bastos – Exp. Regional (Pindamonhangaba)
Joaquim Adelino de Azevedo Filho – Exp. Regional (Monte Alegre do Sul)
Marcelo Ticelli – Exp. Regional (Colina)
Neli Cristina Belmiro dos Santos – Exp. Regional (Andradina)


LINHAS DE PESQUISA

• Melhoramento genético.
• Avaliação para resistência genética a doenças como antracnose e mancha-angular.
• Desenvolvimento de linhagens avançadas para tipos de grãos especiais diferentes do carioca.
• Desenvolvimento de linhagens avançadas visando à qualidade tecnológica de grãos em função de um maior tamanho de grãos, menor tempo de cozimento e resistência ao escurecimento do grão.
• Desenvolvimento e uso de marcadores moleculares microssatélites e mapeamento genético visando o melhor entendimento da resistência genética ao patógeno da antracnose e mancha angular.
• Estudo para desenvolvimento de linhagens duplo haplóides e também regeneração de plantas a partir do desenvolvimento de calos in vitro.


OBJETIVOS

• Contribuir para o avanço da cultura do feijoeiro no estado de São Paulo assim como para outras regiões brasileiras por meio do melhoramento genético para as seguintes características:
• Desenvolvimento de cultivares mais produtivas procurando manter o progresso genético da cultura para aumento da produtividade;
• Desenvolver cultivares mais resistentes/toleranttes aos principais patógenos como a antracnose, crestamento bacteriano, mancha angular e murcha de fusarium, visando a diminuição do custo de produção do agricultor em função da menor utilização de defensivos agrícolas;
• Aumentar a produção de sementes certificadas como forma de facilitar o repasse de tecnologia, contribuindo também para o aumento da taxa de utilização de sementes certificadas pelos agricultores;
• Desenvolver cultivares com grãos diferentes do tipo carioca fornecendo novas opções aos agricultores e também contribuindo para o aumento do mercado brasileiro de exportação de grãos que utilizam cultivares diferentes do tipo carioca como feijões brancos, vermelhos, preto e rajado.
• Realização de ensaios regionais de feijoeiro e dias de campo para divulgar o desenvolvimento de cultivares mais produtivas aos agricultores.


METAS

O programa tem por metas, anualmente:
• Realização de 100 novas combinações de cruzamentos;
• Avanço das populações segregantes.
• Seleção de plântulas resistentes ao patógeno da antracnose em gerações F2 e F3.
• Seleção de plantas resistentes a bacteriose e murcha de fusarium em gerações F5 e F6.
• Seleção de aproxidamente 5 a 8 plantas mais produtivas que foram identificadas como resistentes ou tolerantes durante as inoculações com patógenos considerando a resistência a antracnose como mais importante.
• Realização de aproxidamente 18 ensaios regionais de feijoeiro para as três épocas de cultivo da cultura (águas, seca e inverno)

CULTIVARES DE FEIJOEIRO IAC

Mais informações sobre as cultivares de feijoeiro IAC, clique aqui.


PARCERIAS

I – Com entidades de apoio à pesquisa:
FAPESP
FUNDAG
CNPq


II – Com Instituições de Pesquisa:
EMBRAPA
IAPAR
UFLA
EPAGRI
IPA



Sede do Instituto Agronômico
Avenida Barão de Itapura, 1.481
Botafogo
Campinas (SP) Brasil
CEP 13020-902
Fone (19) 2137-0600