Portal do Governo | Investe SP | Cidadão SP | Internacional SP

Webmail    |    Intranet

Centro de Frutas


Lichia

Litchi chinensis Sonn


A lichia, originária do Sul da China, pertence à família Sapindaceae e requer clima seco e frio no inverno, antes do florescimento, e quente e úmido no resto do ano. A planta é de grande porte, com altura de 10 a 15m. Os frutos são normalmente codiformes ou ovais, vermelhos e dispostos em cachos. A polpa é branca, translúcida, rica em vitamina C, potássio, cálcio, fósforo e ferro. São consumidos ao natural, podendo também ser utilizados para compotas.


Cultivares: Bengal, Brewster (frutos e caroços grandes); “Americana” (frutos e caroços pequenos).


Clima e solo: a temperatura ideal está entre 28 a 30ºC. A alta umidade favorece ao amadurecimento dos frutos. Durante os três meses anteriores ao florescimento são necessárias temperaturas inferiores a 20ºC e baixa umidade. Requer precipitação de 1.300 a 1.500mm anuais. Prospera em solos profundos, bem drenados (com alto teor de matéria orgânica) e não-infestados por nematóides.


Práticas de conservação do solo: plantar em nível; manter as entrelinhas sempre roçadas.


Propagação: comercialmente feita por alporquia. Utilizar ramos de 1,5 a 2,5cm de diâmetro. Realizar em época que se tenha alta umidade, preferencialmente de janeiro a março, logo depois da colheita. Separar o ramo da planta matriz, após o enraizamento (75 dias), eliminando-se 80% das suas folhas. Plantá-lo em sacos plásticos e manter as mudas em ambientes quentes, sombreados, com alta umidade e protegidos de ventos. Levá-las para o campo após dois fluxos (cerca de 12 meses). A propagação por sementes é facilmente obtida, mas não utilizada, pois originam árvores de pé-franco que demoram cerca de 10 anos para conduzir e são muito desuniformes.


Plantio: pode ser realizado durante o ano, mas deve-se dar preferência ao início da estação chuvosa. Plantar em dias nublados, em covas previamente preparadas. Irrigar.


Espaçamento: 12 x 12m.


Mudas necessárias: 134/ha.


Covas: 60 x 60 x 60cm, preparadas no mínimo com um mês de antecedência do plantio.


Calagem e adubação: realizar calagem em toda a área elevando a saturação por bases a 70%, empregando calcário dolomítico. Para a cultura já formada proceder do mesmo modo, com a aplicação do calcário ao redor da planta, sob a projeção da copa.


Adubação de plantio: colocar 20 litros de esterco de curral, ou 5 litros de esterco de galinha.


Adubação de formação: durante 4 anos, fazer adubação com 20g de N; 40g de P2O5 e 30g de K2O aplicados por planta e por ano, parcelados em quatro vezes nos meses de agosto a novembro.


Adubação de produção: no período de frutificação (julho a dezembro) quantidades diferenciadas, dependendo da idade da planta. De 5 a 15 anos: variando de 40 a 160g de N; 20 a 40g de P2O5 e 25 a 120g de K2O aplicados por planta e por ano, em cinco aplicações desde antes da floração até após a colheita.


Controle de pragas e doenças: planta pouco afetada por pragas e doenças.


Outros tratos culturais: capinas manuais na projeção da copa da planta e roçadas nas entrelinhas. Podas de ramos em excesso para arejar a parte interna da copa.


Colheita: de meados de dezembro a início de janeiro.


Produtividade normal: 30 a 45 kg/planta.


Comercialização: frutos a granel acondicionados em sacos plásticos transparentes e perfurados.



Fonte: Boletim, IAC, 200, 1998.




Sede do Instituto Agronômico
Avenida Barão de Itapura, 1.481
Botafogo
Campinas (SP) Brasil
CEP 13020-902
Fone (19) 2137-0600