Portal do Governo | Investe SP | Cidadão SP | Internacional SP

Webmail    |    Intranet

Centro de Frutas


Abacaxi

(Ananas comosus (L.) Merril)


O abacaxizeiro é uma planta herbácea perene da família Bromeliaceae, originária do Cone Sul do nosso continente. O fruto presta-se tanto para consumo ao natural como para processamento industrial em suas mais diversas formas (pedaços em calda, suco, pedaços cristalizados, geléias, licor, vinho, vinagre e aguardente). Como subproduto da sua industrialização, pode-se obter álcool, ácidos cítrico, málico e ascórbico, rações para animais e bromelina (enzima proteolítica de uso medicinal).


O talo da planta pode ser aproveitado para extração de bromelina, sendo também fonte de amido. As folhas podem ser utilizadas para a obtenção de fibras. De alto valor dietético, a polpa do abacaxi é energética (150 calorias por copo de suco); contém boa quantidade das vitaminas A, B1 e C, e, ainda, a bromelina que favorece a digestão.


Cultivar: Smooth Cayenne (Cayenne, Havaí ou Bauru) é o mais produtivo e adequado para industrialização, além de servir para o consumo ao natural. IAC Gomo-de-Mel,o novo material genético recomendado para mesa (consumo individual).


Clima e solo: apesar de boa resistência à seca, produz melhor na faixa de 1.000 a 1.500mm de chuva por ano, tolerando de 600 até 2.500mm; é, entretanto, muito sensível ao frio, não tolerando geada. A temperatura ótima situa-se entre 29 e 31ºC suportando, entretanto, mínima até de 5ºC e máxima de 43ºC. É planta de clima tropical e subtropical. Nos frutos, o excesso de sol e chuva de pedras provocam prejuízos. A cultura pode ser instalada em qualquer tipo de solo, desde que não sujeito ao encharcamento, preferindo, entretanto, solos leves e pH entre 5,5 e 6,0.


Práticas de conservação do solo: plantio em linhas de nível; terraceamento.


Propagação: propaga-se vegetativamente por meio de mudas produzidas pela planta, como filhotes (do pedúnculo do fruto), rebentões (do talo da planta – maiores) e até as coroas dos frutos destinados à indústria, ou ainda, mudas resultantes do enviveiramento de seções do talo da planta ou das mudas. Dentro de cada talhão da plantação as mudas devem ser uniformes quanto ao tipo e tamanho. Não coletar mudas de abacaxizeiros infestados por fusariose.


Plantio: em sulcos, covas ou pressionando as mudas quando a terra estiver fofa.


Espaçamento: plantio em linhas duplas de 40 a 50cm de largura, distanciadas de 90 a 120cm, mantendo o espaçamento de 35 a 40cm entre as mudas de uma mesma fileira e disposição triangular em relação àquelas da fileira vizinha. O maior espaçamento proporciona produção de frutos maiores, mas menor produtividade.


Mudas necessárias: 34.000 a 50.000/ha.


Calagem e adubação: 2 a 3 meses antes do plantio, incorporar calcário dolomítico para elevar a saturação do solo por bases a 50%. Aplicar de 300 a 600 kg/ha de N de acordo com a produtividade esperada (de 30 a 60 t/ha); aplicar 40 a 140 kg/ha de P2O5 e 100 a 600 kg/ha de K2O, de acordo com a análise de solo e com a meta de produtividade. Aplicar o fósforo no plantio e o nitrogênio e o potássio em cobertura, ao lado das linhas, do seguinte modo: em plantios de fevereiro a abril: 10% em abril-maio, 20% em novembro, 40% em janeiro e 30% em março-abril; em plantios de outubro a novembro: 10% em novembro-dezembro, 30% em janeiro-fevereiro e 60% em março-abril. A última adubação deve ocorrer, no máximo, 60 dias antes da aplicação do regulador de florescimento.


Controle de pragas e doenças: broca-do-fruto – polvilhamento ou pulverização das inflorescências e frutos novos com carbaryl, deltamethrin ou Bacillus thuringiensis; cochonilha: tratamento de mudas e plantas com parathion methyl, vamidothion ou ethion; podridão-negra: pincelamento da seção do pedúnculo do fruto com benomyl. Para prevenir pragas e doenças, evitar locais próximos de abacaxizais em mau estado sanitário e mudas deles provenientes; expor os pés das mudas ao sol por vários dias sobre as próprias plantas ou nos carreadores.


Controle de florescimento: aplicar reguladores de florescimento em culturas com desenvolvimento adequado para a produção de frutos de tamanho comercial para que amadureçam ao mesmo tempo dentro do talhão e nas épocas de colheita desejadas. Reguladores recomendados: (a) ethephon (1 a 4 litros/ha do produto comercial – 21,66% de ethephon, sendo as doses maiores aplicadas nas épocas mais quentes e em plantas vigorosas), adicionado ou não de hidróxido de cálcio e uréia; (b) carbureto de cálcio (450 g/100 litros de água fria).


Outros tratos culturais: controlar plantas daninhas com herbicidas, como diuron e derivados de triazina (simazine) e, eventualmente, com capinas. Deve-se proteger os frutos contra o sol, cobrindo-os com jornal ou sacos de papel sem fundo, ou material vegetal seco.


Colheita: novembro a abril, com pico de janeiro a março, ou o ano todo, já que é indispensável o uso de reguladores de florescimento.


Produtividade normal: 30.000 a 45.000 frutos/ha/safra.


Cultura intercalar: o abacaxizeiro pode ser cultivado entre as linhas de culturas perenes em desenvolvimento ou em rotação com adubos verdes.


Comercialização: imediatamente após a colheita, com frutos a granel ou embalados.


Observação: devido à fusariose e ao tombamento dos rebentões e filhotes-rebentões do cultivar Cayenne, não é recomendada a soca mas somente a primeira produção (um fruto por planta), que dura de 14 a 24 meses.



Fonte: Boletim, IAC, 200, 1998.




Sede do Instituto Agronômico
Avenida Barão de Itapura, 1.481
Botafogo
Campinas (SP) Brasil
CEP 13020-902
Fone (19) 2137-0600