Webmail    |    Intranet

 

Selecione abaixo o ano para ver os premiados:

2019    |    2018
2017    |   2016    |   2015    |   2014    |   2013    |   2012    |   2011    |   2010    |   2009    |   2008    |   2007
2006    |   2005    |   2004    |   2003    |   2002    |   2001    |   2000    |   1999    |   1998    |   1997    |   1996
1995    |   1994

 

Premiados 2004:

CATEGORIA INTERNA/PESQUISADOR CIENTÍFICO

• IVAN JOSÉ ANTUNES RIBEIRO
Engenheiro Agrônomo, formado pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, ESALQ/USP, em 1965. Ainda pela ESALQ, obteve o título de Mestre em 1979. Pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias FCAV/UNESP, obteve o título de Doutor em Agronomia, em 1993. No início de carreira, ingressou por concurso público no Setor de Doenças de Plantas, depois Seção de Fitopatologia do Instituto Agronômico. Em setembro de 1976, foi nomeado Chefe da Seção de Viticultura, permanecendo nessa função administrativa até 1983. Nessa data, foi indicado para o Cargo de Diretor Técnico da Divisão de Horticultura do IAC, atividade que exerceu até janeiro de 1984. Em julho de 1998 assumiu a Chefia da então Estação Experimental de Jundiaí e, dois anos depois, o Cargo de Diretor do Centro de Fruticultura. Em 8 de janeiro de 2002 realizou-se o grande sonho do Pesquisador: foi criado em Jundiaí, SP, o Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Frutas, do Instituto Agronômico. Pelos inúmeros trabalhos publicados, premiações recebidas e dedicação de 38 anos de sua vida profissional ao Instituto, homenageamos o Dr. Ivan José Antunes Ribeiro, com o prêmio IAC 2004.

CATEGORIA INTERNA/APOIO TÉCNICO CIENTÍFICO/ADMINISTRATIVO

• REINALDO SANT’ANA ZOCA
Em 1976, concluiu o Curso de Técnico em Agropecuária na Escola Estadual de Segundo Grau Professor Carmelino Corrêa Júnior, em Franca, SP. Em 1979 foi admitido no Serviço Público para exercer as funções de Auxiliar de Agrônomo, junto à antiga Seção de Genética, demonstrando desde o início, notável capacidade de trabalho e incomum espírito de equipe. Foi convidado, em 1988, para trabalhar no Centro Experimental Central como técnico agrícola, ficando responsável pelos trabalhos de pesquisa e de produção de sementes. Dotado de caráter reto e personalidade afável, sempre se preocupou com a solução dos problemas cotidianos da Instituição e mesmo pessoais dos colegas. Isso lhe proporcionou, com o decorrer do tempo, um extenso círculo de amizade e de confiança por parte de todos com quem se relaciona.

• LUIZ TEIXEIRA
Luiz Teixeira, Diretor de Serviço do Centro Experimental Central, há mais de 51 anos, tem-se dedicado ao Instituto Agronômico. Teixeirinha, como é chamado pelos amigos começou a trabalhar no IAC em 1953, com 13 anos, por ordem do pai. Foi contratado como empreiteiro para auxiliar na construção de dois barracões para armazenar adubos do antigo “Departamento de Estações Experimentais”. Confeccionou também jacazinhos de bambu, para as mudas de café do Dr. Alcides Carvalho, além de esteiras e balaios para as colheitas de algodão e milho. Em 1982, assumiu a Encarregatura Administrativa do CEC (Fazenda Santa Eliza), sendo nomeado, em 2002, Diretor de Serviço daquele Centro. O prêmio IAC 2004 vem para firmar a trajetória de Luiz Teixeira no Instituto Agronômico.

CATEGORIA EXTERNA/AGÊNCIA DE FOMENTO À PESQUISA

• FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO
A FAPESP foi instituída em 1962, sendo primeiramente instalada em algumas salas do edifício de laboratórios da Faculdade de Medicina da USP, e depois se transferiu para sua sede atual. Bem administrados, os recursos transformaram-se em um patrimônio rentável, que garante a estabilidade das linhas regulares de fomento e permite a criação de programas especiais e de inovação tecnológica. A criação da FAPESP tem o propósito do governo paulista de dotar o Estado de São Paulo de um organismo de apoio à pesquisa autônomo, eficiente e ágil nas decisões. Desde o princípio, foi estabelecido que FAPESP deveria ser gerida por especialistas comprometidos com as finalidades sociais do desenvolvimento científico e tecnológico – o que tem ocorrido ao longo das quatro décadas de existência da FAPESP. O IAC agradece à FAPESP por tornar viável nossos projetos de pesquisa. Nosso reconhecimento se faz pelo prêmio IAC 2004. Recebeu o prêmio o Dr. Joaquim José de Camargo Engler, Diretor Administrativo da FAPESP.

CATEGORIA EXTERNA/PERSONALIDADE DO AGRONEGÓCIO

• ROBERTO RODRIGUES
Sua carreira tem três vertentes:
Área acadêmica: professor (hoje licenciado) do Departamento de Economia Rural da UNESP – Jaboticabal, tem centenas de trabalhos publicados sobre agricultura, cooperativismo e economia rural. Autor de três livros e co-autor de diversos outros. Doutor honoris causa pela UNESP, ex-membro da Fundação de Estudos Agrários Luiz De Queiroz – FEALQ, do Conselho Assessor da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, do Conselho Estadual da Ciência e Tecnologia – CONCITE, do Conselho de Administração da Escola de Administração de Empresas de São Paulo – EAESP FGV, do Alto Conselho Agrícola do Estado de São Paulo etc. Recebeu a Medalha Paulista do Mérito Científico e Tecnológico e a Comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico, entre outros.
Área da Agricultura: empresário rural em São Paulo e no Maranhão. Foi presidente da Associação Brasileira de Agribusiness e da Sociedade Rural Brasileira. Foi Secretário de Agricultura e do Abastecimento do Estado de São Paulo e coordenou o setor privado no Fórum Nacional da Agricultura. Por 18 anos consecutivos tem sido eleito líder empresarial agrícola, em pesquisa realizada pelo jornal Gazeta Mercantil. Como agricultor, recebeu vários prêmios nas áreas ambiental, social, de conservação do solo e de produtividade, e também a ordem do mérito agrícola, no grau de cavaleiro, concedido pelo governo da França. Foi membro de vários conselhos, representando o agronegócio, tais como o Conselho Monetário Nacional – CMN, Conselho de Crédito Rural e Agroindustrial – CCRA, Conselho Nacional do Agronegócio – CONSAGRO, Conselho Nacional de Política Agrícola – CNPA, Conselho Nacional de Comércio Exterior – CONCEX, Conselho da World Wildlife Foundation – WWF etc. foi vice presidente da Fundação Brasileira para Desenvolvimento Sustentável. Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Área do cooperativismo: foi dirigente de cooperativas agrícolas e de crédito rural, com abrangência local (Guariba, SP), regional (Campinas, SP), estadual (São Paulo) e nacional. Foi presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB por dois mandatos (1985/1991). Foi presidente da organização internacional de cooperativas agrícolas. Presidiu também a Aliança Cooperativa Internacional – Aci, órgão centenário que congrega 800 milhões de pessoas em todo o mundo, através de 250 organizações nacionais de cooperativas, representando uma centena de países (1997/2001). Conhece 80 países, em todos os continentes. Recebeu a medalha Albin Johansson do cooperativismo sueco, por seu trabalho em favor da democracia e da paz no mundo todo, além de condecorações da OCB, da Organização das Cooperativas das Américas – OCA e de inúmeros estados brasileiros. É cidadão honorário dos Estados: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Espírito Santo e Rio de Janeiro, e de dezenas de municípios em todo o País.
Em sua vida profissional destaca (1) a defesa da agricultura, (2) a defesa do agronegócio, (3) a defesa do cooperativismo, (4) família maravilhosa, (5) alunos extraordinários, e (6) companheiros especiais, cuja amizade o honra e engrandece.

CATEGORIA EXTERNA/PERSONALIDADE DO ENSINO

• JOSÉ ROBERTO POSTALI PARRA
Diretor da Escola Superior de Agricultura “Luis de Queiroz” – ESALQ, USP. Engenheiro Agrônomo formado pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ, USP em 1968. Mestre pela ESALQ, USP, em 1972, e doutor também pela ESALQ, USP em 1975. De 1969 a 1974, trabalhou no IAC na área de Entomologia e Climatologia. Fez Pós-doutorado na University of Illinois, EUA em 1978. Professor titular da ESALQ, USP, em 1999. Em suas atividades de pesquisa publicou nove livros e 400 resumos em congressos. Muitas orientações de tese de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Foi Presidente da Sociedade Entomológica do Brasil - SEB, em 1998. Eleito membro em Assembléia Geral para a Academia Brasileira de Ciências, em 2000. Mediante sua grande experiência na área administrativa foi eleito diretor da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, ESALQ, USP para o quadriênio 2003/2006. Recebeu inúmeros prêmios em reconhecimento a sua contribuição para a Entomologia Brasileira e internacional. Um de seus últimos prêmios foi ser escolhido para representar o Brasil no Brazilian Technology Day em Washington, em fevereiro e 2003.

Prêmio IAC

O Instituto Agronômico, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo foi fundado em 27 de junho de 1887 pelo Imperador D. Pedro II.

Como parte das comemorações, o Instituto Agronômico outorga, desde 1994 (CATEGORIA INTERNA) e desde 2001 (CATEGORIA EXTERNA), o Prêmio IAC, que é o reconhecimento ao mérito científico, ao desempenho institucional e aos profissionais e instituições de destaque na agricultura paulista e nacional.

Internamente, o Prêmio IAC prevê a escolha nas categorias Apoio (técnico ou administrativo) e Pesquisador Científico.

Externamente, o Prêmio IAC é conferido a até três pessoas físicas ou jurídicas, escolhidas dentre as categorias: Agência de Fomento à Pesquisa, Destaque Especial, Personalidade do Agronegócio, Personalidade da Pesquisa, ou do Ensino ou da Extensão, Político ligado ao Agronegócio e/ou à Ciência e Tecnologia e Produtor Rural.

O Prêmio IAC consiste em miniatura do Prédio D. Pedro II, feita pelo artista plástico Giuseppe Botica e executada pela Fundiart –Fundição Artística em bronze sobre granito preto.

Quem pode ser agraciado

O Prêmio IAC na categoria externa visa a homenagear pessoas físicas ou jurídicas que, na área agrícola, destacaram-se pela contribuição nas esferas científicas e tecnológicas ou em atividades práticas que propiciem o desenvolvimento da agricultura sustentável, a melhoria da renda do agricultor e do agronegócio paulista.

Quem pode indicar

A indicação de candidatos é feita, mediante consulta, por pessoas físicas ou jurídicas ligadas ao agronegócio brasileiro, entidades de classe, associações, sindicatos, empresas, cooperativas, universidades, instituições de pesquisa e extensão rural. Os nomes indicados são avaliados pela comissão responsável pelo Prêmio IAC, composta por servidores do Instituto Agronômico e avalizada por seu Conselho de Diretores.

Entrega

A entrega do Prêmio é realizada na Sessão Solene que encerra as festividades em comemoração ao aniversário do Instituto Agronômico, em 27 de junho.

MEDALHA DE HONRA AO MÉRITO FRANZ WILHELM DAFERT

Em 2009 foi instituída a medalha de “Honra ao Mérito Franz Wilhelm Dafert" para homenagear personalidades e instituições por seus valores pessoais e serviços relevantes prestados à agricultura brasileira. Franz Wilhelm Dafert foi o fundador e primeiro diretor do Instituto Agronômico. Jovem cientista austríaco, doutor em química agrícola, foi contratado pelo governo brasileiro para organizar e dirigir um instituto de pesquisa agronômica. Sua gestão, considerada admirável, foi um período em que ocorreram importantes transformações na instituição, possibilitando um maior atendimento às demandas e à melhoria dos serviços. Sob sua direção, o Instituto Agronômico foi a primeira instituição a realizar análise de solo e planta no Brasil, recebendo, em 1904, a Medalha de Prata por Análise de Solo na Exposição Universal de Saint Louis, nos Estados Unidos.

 

Sede do Instituto Agronômico
Avenida Barão de Itapura, 1.481
Botafogo
Campinas (SP) Brasil
CEP 13020-902
Fone (19) 2137-0600